Resumo Curricular

Bacharel de Direito pela UFRJ (exercendo a profissão por dez anos), Mestre em Teoria Literária/Ciência de Literatura pela UFRJ e Doutora na mesma área de Teoria Literária pela UFRJ, atualmente fazendo seu pós-doutoramento na mesma área e na mesma instituição.

Diversos prêmios literários e homenagens como no 21º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético de Montes Claros, MG. Participação também em debates em congressos literários por todo o país.

Ministrou Curso de Carpintaria Poética em 2003, outubro, no "2º Fórum Brasileiro de Literatura de Blumenau”. Workshop de Poesia (7h/aula) fundação Cultural de Blumenau/SC.
Participações em diversos júris, destaque para: Júri do I Conc. de Poesia dos Economiários do RJ (1984),  Júri de Melhor Livro do Ano, Secretaria de Cultura de SP (1986), Júri do II Salão de Humor, Secretaria Estadual de Cultura de Aracaju/SE (1986), Júri da fase classificatória do Festival de Música de Batatais, SP (1986), Juri do I Festival FACOPP 2009 Unoeste, Presidente Prudente, SP (categoria "Videos de um minuto" - 2009), Júri inicial do Prêmio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa (2011), Júri do Prêmio Nacional de Poesia da Fundação Biblioteca Nacional, RJ - Prêmio Alphonsus de Guimaraens (2012), Júri do Concurso Nacional de Literatura Prêmio Cidade de Belo Horizonte, MG (2013).

30 livros publicados (poesias, prosa e ensaios). Em 2013, a Annablume publicou suas obras poéticas completas: "DESFAMILIARES" (1965-2012), incluindo fortuna crítica, uma parte de poemas inéditos, poemas esparsos, poemas em antologia, além de seus livros em paraceria e solos, como "SANGUE CENOGRÁFICO", com prefácios de Ignácio de Loyola Brandão, Heloísa Buarque de Hollanda, Gilberto Mendonça Teles e Nélida Piñon. Este livro de poesia, desde que foi lançado, em junho de 2013, continua constando da lista dos 10 mais vendidos da editora. O de contos, “ACHADAS E PERDIDAS”, tem prefácio de Aguinaldo Silva. É autora do "Catálogo da Imprensa Alternativa" (pesquisa, elaboração e redação dos verbetes). Capa: Rubem Grilo (EUA), Ed. RioArte, Secret. Munic. de Cultura, RJ, 1986 e elaboração de verbetes para a Enciclopédia de Literatura Brasileira, MEC/OLAC, 1990 e 2001. Em 2005 seu acervo particular de jornais da imprensa alternativa brasileira foi adquirido pela Biblioteca da Universidade de Miami, cujo setor “Leila Miccolis Brazilian Press Alternative Collection" está para ser inaugurado. Consta do Banco de Dados Informatizados — Módulo Literatura Brasileira, categoria "Tendências Contemporâneas", do Instituto Cultural Itaú (SP). Sua obra no Brasil, é citada e analisada por literatos como: AFFONSO ROMANO DE SANT'ANNA, em "Música Popular e Moderna Poesia Brasileira", Ed. Vozes, RJ, 1978; GLAUCO MATTOSO, em "O que é poesia marginal" Ed. Brasiliense, SP, 1982; JAIR FERREIRA DOS SANTOS, em "O Que É Pós-Moderno", Ed. Brasiliense, SP, 1986; PEDRO LYRA, em O Real no Poético, Ed. Cátedra e Pró-Memória (INL), DF/RJ, 1986; ASSIS BRASIL, em "A Poesia Fluminense do Século XX", Ed. Imago/FBN/UMC, RJ/DF, 1998; WILBERT CLAYTON FERREIRA SALGUEIRO em “Militância e humor na 'Poesia de Testemunho' de Leila Míccolis", em Estudos Brasileiros de Literatura Contemporânea, vol. 27, Brasília/DF; ROGEL SAMUEL, em "Novo Manual de Teoria Literária", 4ª ed., Editora Vozes, Petrópolis/RJ, 2007, entre outros. Em 2004, foi convidada a integrar o Projeto Celulivros (lançamento de livros de poesia através de telefonia celular). A partir de 2006, tem publicações acadêmicas em sua bibliografia.

No exterior, destaca, entre as publicações que contém sua obra ou a análise dela: 1977: "BRASILEIRAS", org. Maryvonne Lapouge et Clelia Pisa, Ed. Des Femmes, Paris/França; • 1980: "A BOOK OF WOMEN POETS FROM ANTIQUITY TO NOW", Schocken Booke, New York/EUA; • 1982: "A (MÁS)CARA DIANTE DA CARA (DOS SÍMBOLOS DO HOMEM E DO HOMEM COMO SÍMBOLO)", de Alberto Pimenta (ensaios e debates sobre Semiologia), Editorial Presença, Lisboa/Portugal; • 1982: "ANTOLOGIA DA NOVÍSSIMA POESIA BRASILEIRA", seleção e notas de Gramiro de Matos e Manuel de Seabra, col. Horizonte de Poesia, Lisboa/Portugal; • 1991: "EL PLACER DE LA PALABRA - LITERATURA ERÓTICA FEMININA DA AMÉRICA LATINA" (Antologia Crítica), org. Margarite Fernández Olmos e Lizabeth Paravisini-Gebert, Editorial Planeta Mexicana, México/D.F.;• 1993: "PLEASURE AND THE WORD - EROTIC WRITINGS BY LATIN AMERICAN WOMEN", org. Margarite Fernández Olmos & Lizabeth Paravisini-Gebert, translated by Paula Milla-Kreutzer, White Pines Press, Estados Unidos; • 1994: "CULTURAL DIVERSITY IN LATIN AMERICAN LITERATURE", David William Foster, University of Mexico Press, Albuquerque/Mexico • 1998: “HAÏKUS SANS FRONTIÈRES - une anthologie mondiale”, org. André Duhaime, Les Éditions David, Canadá.

Para cinema, adaptou o premiado romance de Paulo Jacob, "Dos ditos passados nos acercados do Cassianã". Tem também dois curtas, com João Luiz Pacheco Mendes, adaptação de poemas homônimos da autora: “ORAÇÃO INFANTIL” e “DEVASTAÇÃO”, além da adaptação-solo “HORÁRIO NOBRE”. Em 2003: roteiro final do longa-metragem de Pery De Canti, “TERRA PROMETIDA”. Diretor de Fotografia: Walter Carvalho; Música-Tema: João Bosco. Diretor de Arte: Tião Fonseca. Produtor Executivo: Iberê Cavalcanti. Em 2009, “EVA” – Supervisão de texto do curta-metragem de Francisco Malta (autor do roteiro e codireção), direção geral de Will Pantaleão. Com Ana Teresa Welerson, Thiago Valente, Bárbara Fornarolli, Daniela de Paula, Will Pantaleão, Jonhy Brabo. Produzido pela Fabrika de Filmes (RJ), CPB-ANCINE-09010420.

Para teatro tem encenadas as seguintes peças: "SE O CASAMENTO VAI MAL... PIMENTA, ALQUIMIA E SAL", dir. Guilherme Corrêa (com Ana Rosa) (1993), "FORA DE FORMA" (juvenil), dir. Maria Cristina Furtado (1994) e “POESIA.BR”, dir. Jo Martin (2001). Em 2005, participou do Projeto “Drama Tempo Ciclo de Leituras Dramaturgia Contemporânea” – Leituras dramatizadas de peças + debates sobre arte e contemporaneidade, como mediadora e debatedora do tema “Carnavalização – o ufanismo na criação” (a utilização de citações e referências históricas e mitológicas na criação artística, e como ela pode retratar e discutir uma nação), com Benita Prieto, tema derivado da peça: “As traças da paixão”, de Alcides Nogueira, lida por Arlete Salles e João Vitti. Direção: Lucianno Maza. Teatro do Jóckey/Centro de Referência do Teatro Infantil RJ. Em 2006, leitura de sua peça: “QUATRO PEÇAS NO VARAL”, direção de Lucianno Maza, no Centro Cultural Sérgio Porto (Botafogo/RJ), dentro do Projeto Drama Tempo Ciclo de Leitura / Dramaturgia Contemporânea. Obteve o Prêmio de dramaturgia: "Os Melhores de 1997 - Teatróloga do Ano", conferido pela Sociedade de Cultura Latina do Brasil, edição nº 5 (ano II), SP e consta do Catálogo de Dramaturgia Brasileira, de Maria Helena Kühner, disponibilizado pela Internet.

Para televisão escreveu: "PAIS PROBLEMAS" ("Caso Verdade", 1983/TV Globo), "MANIA DE QUERER", com Silvan Paezzo (novela, 1987/TV Manchete), "RAINHA DA VIDA", com Marina Cicogna (minissérie, 1987/TV Manchete), "OLHO POR OLHO", com Wilson Aguiar Filho, (novela, 1988/TV Manchete), "KANANGA DO JAPÃO", com Wilson Aguiar Filho e José Louzeiro (novela, 1989/TV Manchete), "BARRIGA DE ALUGUEL", com Glória Perez (novela, 1990-1991/TV Globo), "74.5 - UMA ONDA NO AR" (novela, 1994/versão internacional), “MANDACARU” (com Yoya Wursh, Clóvis Levy, Gregorio Bacic, TV Manchete, 1997/1998). Diversos cursos de teledramaturgia ministrados à distância e presencialmente, em Universidades Brasileiras, inclusive três na UFRJ (Curso de Extensão).